Galícia Educação

O papel e a importância da governança empresarial

governança

Nosso cenário atual é de um mundo muito mais globalizado e aberto do que há alguns anos. Seguindo esse mesmo viés, é interessante observar como a Governança Corporativa se tornou um dos valores mais importantes de uma instituição.

Em síntese, a Governança Corporativa é um processo, no qual é determinada a maneira como a empresa é administrada, que reflete diretamente na cultura, regulamento interno e políticas. 

Ou seja, podemos dizer que se trata da forma como as empresas são controladas e dirigidas. A Governança visa à excelência quando o assunto é gestão empresarial, sendo que sua essência é a transparência. 

Quando falamos em transparência, é sobre haver clareza em seus atos, tanto para o público interno quanto para o externo. É o famoso “fair play”, ou seja, jogar limpo. Não por acaso, a Governança Corporativa ganha cada dia mais evidência.

Definição e finalidade da Governança Corporativa 

Muito se engana quem acha que Governança Corporativa serve apenas para grandes empresas. Muito pelo contrário do que possa parecer, seus princípios se encaixam para todas as empresas, independentemente do porte. 

Isso ocorre porque o principal pilar da Governança Corporativa é o equilíbrio entre todos os interessados. Estando nessa posição, faz-se necessária a prestação de contas, principalmente com seus consumidores e acionistas. 

Aqui no Brasil, desde 1990 existe o IBGC (Instituto Brasileiro de Governança Corporativa), que contribui ativamente para o desenvolvimento sustentável das empresas por meio das melhores práticas em Governança Corporativa.

Essa instituição define Governança Corporativa como “sistema pelo qual as empresas e demais organizações são dirigidas, monitoradas e incentivadas, envolvendo os relacionamentos entre sócios, conselho de administração, diretoria, órgãos de fiscalização e controle e demais partes interessadas”. 

A finalidade da Governança é a busca pela conversão de princípios básicos em um conjunto de práticas objetivas, por esse motivo o consideramos um processo. Dessa maneira, o resultado é o alinhamento entre a viabilidade da empresa (a longo prazo) com os interesses econômicos.

Benefícios de uma boa Governança Empresarial 

A c carrega um grande potencial de transformação, o que, na prática, torna a empresa cada vez mais sólida e propícia para colher os benefícios que ela traz.

Com o aprimoramento do processo, consequentemente haverá uma diminuição nas falhas e também nas fraudes. Com isso, a reputação da organização aumenta, e ela se torna cada vez mais valorizada.

Uma empresa sólida, transparente e confiável atrai olhares de investidores que possuem grande capacidade de aporte. Uma boa estrutura de Governança Corporativa faz com que os riscos de investimentos sejam baixíssimos. 

A Governança Corporativa traz muitos avanços que representam soluções para dores muito comuns. Abaixo vamos destacar as principais vantagens desse modelo de gestão

• Maior visibilidade de mercado

• Facilidade na captação de recursos

• Redução do custo capital

• Prevenção de problemas, fraudes e erros

• Evita conflito de interesses

• Controle do abuso de poder (uma vez que as decisões não estão centralizadas em apenas uma pessoa)

• Impede o uso de informações privilegiadas

Práticas comuns de Governança Corporativa 

Sendo a principal referência sobre Governança Corporativa no Brasil, o IBGC possui o Código das Melhores Práticas de Governança Corporativa (veja na íntegra). O mesmo foi pensado coletivamente por profissionais e especialistas, a fim de apresentar as melhores recomendações sobre o tema.

Há quatro princípios básicos, que, em algum grau, norteiam todas as práticas que estão no Código. Eles são considerados a base para a adequação e também confiabilidade, tanto interna quanto externa. Confira!

Transparência

A transparência está ligada à vontade da organização em disponibilizar informações para as partes interessadas, não somente aquelas que são impostas pela lei.

Vale ressaltar que tais informações não são restritas apenas ao desempenho financeiro. Mas sim a todos os fatores que estão envolvidos e conectam o processo gerencial.

Equidade

Na Governança Corporativa, a equidade significa dar às pessoas todas as informações que elas precisam, para que todos possam ter acesso às mesmas oportunidades, levando em conta seus direitos, interesses, deveres e expectativas. Investir na gestão humanizada é uma das maneiras mais eficientes de colocar em prática a equidade dentro de uma organização.

Prestação de contas

A prestação de contas precisa ser clara e concisa. O agente responsável por cada setor tem ciência de que seus atos têm consequência, e por isso deve atuar com a máxima diligência.

Responsabilidade Corporativa

A responsabilidade corporativa zela pela viabilidade econômica, para reduzir as externalidades negativas das operações. Para isso, o agente de Governança deve considerar os diversos capitais: humano, social, financeiro e ambiental. Determinando, assim, um modelo de negócios que vai funcionar a curto e longo prazos.

Papel e responsabilidade do conselho de administração 

O Conselho Administrativo dentro de uma empresa diz respeito a um grupo que tem por objetivo ser o elo entre os interesses, como por exemplo: as atribuições da gestão com os acionistas.

Sendo um dos principais pilares da Governança Corporativa, o Conselho tem a função de gerar transparência, aumentando, assim, a credibilidade dentro da empresa, maximizando o retorno dos investimentos. 

Os membros do Conselho atuam como se fossem um setor, que é responsável por supervisionar as atividades, criando direcionamentos estratégicos e dando orientações gerais para todas as áreas da empresa. 

Nesse quesito, parece que apenas grandes corporações se beneficiam em ter um Conselho Administrativo. Mas novamente, negócios de qualquer porte podem criar um conselho, porque afinal, ele é composto por profissionais qualificados que buscam soluções para a empresa.

Implicações legais e éticas da Governança Empresarial 

A Governança Corporativa e a boa gestão empresarial se completam, formando uma estratégia de compliance – em português, significa conformidade. Porém, não se trata de seguir normas técnicas na fabricação de produtos.

Neste caso, a “compliance” significa obedecer às regras legais, morais e éticas do Brasil (que por acaso, ganhou força em 2013, a partir da publicação da Lei Anticorrupção).

O que norteia a conformidade é a correção dos atos. Não podemos negar que essa estratégia contribui para o fortalecimento da imagem da empresa, aumentando o compromisso e a seriedade na condução dos seus processos. 

Em poucas palavras, podemos dizer que a Governança Corporativa foca na ética, e a estratégia de compliance foca na transparência das atividades, mantendo cada vez mais distante qualquer ilicitude.  Ou seja, os dois valores são essenciais para manter a integridade da empresa. 

A Governança Corporativa tem sido abordada com mais frequência, e a busca por profissionais qualificados aumentou na mesma proporção. A Galícia Educação oferece os melhores cursos para quem deseja alcançar o cargo de liderança ou gerência. 

Venha aprender com os melhores! Nós entendemos os anseios dos profissionais e também dos empreendedores que desejam alcançar posições de destaque no mercado. Conheça mais sobre nossos cursos e não fique de fora dessa oportunidade. 

Veja também o nosso MBA em Relações com Investidores e Governança Corporativa, da Escola de Gestão da Galícia Educação.

Compartilhe:

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Últimos artigos
Fique por dentro
Inscreva-se em nossa Newsletter

Sem spam, somente artigos.

Aprofunde seu conhecimento
Artigos relacionados