Aprenda com 7 dicas a criar um bom planejamento familiar

planejamento familiar

Mentoria dos líderes de hoje para você, o líder do futuro.

Grátis para os estudantes de MBA.

Caito Maia, João Kepler, Andrea Schwarz, Dennis Nakamura e mais em aulas inspiradoras e transformadoras, que levarão você a agir e realizar todo o seu conhecimento.

Quer a mentoria de grandes líderes?

O cenário econômico que nos encontramos no momento é bastante desafiador, ainda mais para quem não se planeja. Altas e baixas na economia podem fazer com que os seus planos se tornem ainda mais distantes, e é por isso que é tão importante saber como fazer um planejamento familiar. 

Há uns anos era muito comum que o planejamento fosse concentrado em um membro da família, que ficava responsável por tudo. Mas tal hábito foi ficando para trás, e hoje, além de complementar a renda, todos dão mais atenção na organização das finanças.

Um bom planejamento familiar estrutura a vida da família toda porque os gastos ficam mais “palpáveis”, e assim é mais fácil manter o controle e evitar novas dívidas. E com isso, é possível traçar objetivos em comum ou mesmo particulares.

Vale lembrar que o planejamento familiar não se reduz a apenas a um modelo – existem vários, e eles variam de acordo com o objetivo a ser alcançado. Aqui vão alguns, com certeza algum irá se enquadrar na necessidade de cada família. Veja!

Quais os tipos de planejamento familiar?

Para escolher o modelo ideal de planejamento familiar é essencial que os objetivos de todos os membros estejam alinhados. Com objetivos em comum, é mais fácil que todos fiquem empenhados a realizá-los.

Endividamento

Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor realizada pelo Fecomércio – SP, a taxa de famílias endividadas chega a um recorde histórico, batendo 74,5%.

Os números altíssimos são reflexo de um conjunto de acontecimentos, como a pandemia do COVID-19, por exemplo. Além da taxa de endividamento, a de desemprego também aumentou muito.

Nessa situação, o planejamento familiar torna-se essencial para conseguir sair das dívidas. E existem algumas dicas que ajudam na hora de negociar:

Demonstre interesse ao seu credor:

deixe claro que você não está fugindo das suas obrigações e tem interesse em quitá-las.

Renegociação das dívidas:

seja honesto com o credor e com suas finanças, faça acordos que cabem no seu bolso.

Casa própria:

A casa própria, o sonho da grande parte das famílias brasileiras! Mas para isso, é preciso ter um planejamento muito bem estruturado, porque ele vai funcionar por anos, contando com diversas etapas.

E para isso, também trouxemos algumas dicas que vão te ajudar nessa:

Tente diminuir ao máximo o valor do financiamento:

isso é importante para que o valor da parcela não comprometa mais que 40% da renda familiar. E para quem quer comprar um imóvel ainda na planta, a atenção a esse detalhe deve ser redobrada.

Consulte o saldo do FGTS:

A Caixa Econômica Federal libera o saldo das contas do FGTS para a compra de imóveis e construção. 

Estudo:

Aqui, vale ressaltar que educação não é considerado um gasto, e sim um investimento, mas que exige um planejamento familiar.

O ideal, para famílias que ainda não tem filhos, seria começar esse planejamento antes mesmo deles nascerem. Uma reserva para pagar a escola, e até mesmo a faculdade.

Mas para quem não fez esse tipo de planejamento, uma dica é procurar por bolsas de estudos e financiamentos estudantis, que se tornaram uma possibilidade a ser considerada.

Como fazer um planejamento familiar? Veja 07 dicas!

Por meio do planejamento familiar, é possível ver o que está acontecendo com o dinheiro, de onde vem e para onde ele vai. E com isso, prever gastos essenciais e cortar despesas desnecessárias.

Ou seja, para melhorar a saúde financeira, um planejamento familiar é mais do que essencial! Porque além de tudo, ele auxilia na criação de um fundo para emergências, que pode ser usado quando aparecer algum imprevisto.

Reunimos 07 dicas que vão te ajudar a organizar um planejamento familiar assertivo, mas lembre-se: é preciso ter disciplina a longo prazo para que o resultado seja efetivo para toda a família.

1 – Levantamento de gastos


Para começar, faça uma relação de todos os gastos fixos: aluguel, água, luz, internet, cartão de crédito e mensalidades. E também relacione todas as entradas. Existem diversas formas de reunir tais informações, como planilhas de excel e aplicativos online.


2 – Avalie suas finanças

Após reunir todas as informações necessárias, faça uma avaliação das suas finanças. Renda X Gastos – esse diagnóstico é muito importante para identificar para onde está indo o seu dinheiro.

Na prática, para saber se os ganhos estão sendo suficientes para cobrir as despesas faça um cálculo simples, diminuindo os gastos do valor dos ganhos. Caso tenha ficado no vermelho, a principal dica é: foque em eliminar as suas dívidas.


3 – Dívida: Elimine-as!

Toda dívida gera uma preocupação, que além de dinheiro, leva também seu tempo e sua energia. Veja quais são prioridade, e comece por elas. Faça uma lista com valores, juros e prazos. Dê preferência para quitar as que possuem juros altos para que não se transforme na famosa “bola de neve”.


4 – Crie metas

Um planejamento familiar exige um esforço em conjunto, que vai desde a quitação de dívidas à economia nos gastos. Sendo um assunto que deve ser discutido em grupo, para que todos possam ficar a par da situação.

As metas podem começar pelas mais simples, como por exemplo, economizar na conta de luz. E dessa maneira, traçar metas mais ousadas, trazendo para a família noções de educação financeira.


5 – Dê preferência para o pagamento à vista

A compra à vista te livra dos juros de parcelamento, e também facilita no controle dos gastos. Além disso, sempre é possível negociar bons descontos nesse tipo de pagamento.


6 – Registre os gastos

Registrar os gastos é uma ótima ferramenta que auxilia no processo do planejamento familiar. Ao anotar todos os gastos (até os menores), a visualização deles se torna mais clara, fazendo com que é desnecessário seja eliminado de uma maneira mais simples.


7 – Plano de emergência 

Uma das maiores vantagens de um planejamento familiar, é a possibilidade de organizar um fundo de emergência, caso ocorra algum imprevisto. O ideal é ter uma reserva que seja suficiente para sustentar a casa por certo período.

Uma dica valiosa, é aplicar esse dinheiro em um investimento de baixo risco, onde o mesmo possa ser resgatado imediatamente, com a vantagem da liquidez diária, fazendo com que seu dinheiro não fique parado e passe a render.

Essas dicas são valiosas para quem pretende se organizar financeiramente, mas sempre há uma maneira de ir além. E para isso, a Galícia Educação oferece o curso de Certificação Profissional – O Processo de Planejamento Financeiro e Familiar.

Em nosso curso, você aprende com a Paula Bazzo – Head de Educação na Super Rico, mentora na Finep e ONU (programas de estímulos de participação das mulheres nos negócios. Paula possui um vasto currículo na área, é formada em Relações internacionais, Administração e Psicologia.

O conteúdo programático do curso foi desenhado para que nossos alunos entendam como funciona e qual a importância do planejamento familiar, e como isso afeta a vida das pessoas. 

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Mentoria dos líderes de hoje para você, o líder do futuro.

Grátis para os estudantes de MBA.

Caito Maia, João Kepler, Andrea Schwarz, Dennis Nakamura e mais em aulas inspiradoras e transformadoras, que levarão você a agir e realizar todo o seu conhecimento.

Quer a mentoria de grandes líderes?

Mais artigos

A curadora do nosso MBA em Gestão de Produtos Digitais, Bruna Bartosiaki, participa como coordenadora da Trilha de Design Thinking, no evento TDC, The Developer's Conference, que ocorre  no dia 2 de Junho na edição de Florianópolis. 

Muito tem se falado sobre empatia, mas será que todo mundo realmente entende seu significado? Empatia não pode e não deve ser …

Muitas pessoas deixam para pensar em aposentadoria apenas quando precisam dela. Mas qual seria a hora certa para pensar sobre isso? Há …

O marketing tem tudo a ver com entender os comportamentos, necessidades e motivações dos consumidores e, em seguida, entregar uma experiência que …

Skip to content