Galícia Educação
Gift Store

Veja 7 dicas práticas de como interpretar dados

como interpretar dados

A análise de dados é uma parte muito importante de qualquer empresa que queira entender melhor os seus processos, seu público, seus investimentos e tudo o que rodeia a operação.

Saber como interpretar dados também é essencial, independentemente do departamento ou função que você trabalha.

Seja você um profissional de marketing analisando o retorno do investimento de sua campanha mais recente ou um gerente de produto analisando dados de uso, a capacidade de identificar e explorar tendências é uma habilidade essencial para a tomada de decisões.

É por isso que hoje vamos falar um pouco mais sobre a análise de dados e dar algumas dicas básicas sobre como começar a fazer isso.

Qual a importância dos dados em uma empresa?

Os dados são super importantes para uma empresa tomar as melhores decisões em seu funcionamento. Desde questões básicas como entender quais produtos vendem mais até questões mais complexas como oportunidades em outras regiões podem ser descobertas por meio dos dados.

Infelizmente, muitas empresas hoje lutam com a organização e análise de dados. Uma pesquisa global da Splunk descobriu que 55% de todos os dados coletados pelas empresas são “dark data”: informações que são coletadas, mas nunca usadas.

Às vezes, uma empresa nem sabe que tem os dados. Ou as informações ficam soltas porque a equipe não sabe como interpretar dados.

A mesma pesquisa descobriu que 76% dos executivos acreditam que treinar funcionários atuais em data base vai ajudar nesse problema. Obviamente, se os funcionários entenderem como analisar diferentes tipos de dados, a empresa pode fazer melhor uso das informações coletadas.

A boa notícia é que a análise de dados é uma habilidade que você pode aprender.

Você não precisa ser “de exatas”, como muita gente tem medo, ter um diploma avançado em estatística ou passar horas de módulos de treinamento aprofundado para entender como analisar dados.

Em vez disso, reunimos algumas dicas práticas para te ajudar a começar a analisar os dados e a dominar algumas habilidades básicas. Olha só:

Veja 7 dicas práticas de como interpretar dados que podem fazer toda a diferença

1 – Defina seus objetivos

Antes de começar a analisar seus dados, você precisa definir alguns objetivos claros. Se você não tiver uma ideia clara do que está procurando, passará horas olhando para uma planilha esperando que ela te responda uma pergunta que você nem sabe qual é.

Suas metas variam de acordo com a equipe em que você está, os dados que está coletando e sua função na empresa. A equipe financeira, por exemplo, quer identificar oportunidades de redução de custos, já a equipe de marketing quer melhorar as conversões nas campanhas de mídia. Tudo vai depender do seu objetivo. 

2 – Limpe seus dados 

Sua análise de dados depende muito dos dados que você tem. Se as informações que você tem forem irregulares, erradas ou inconsistentes, os insights da sua análise serão incompletos ou, pior ainda, enganosos. 

Então, depois de coletar seus dados, reserve um tempo para limpá-los para ter certeza de que eles são consistentes e não incluem informações duplicadas. Para isso, você pode:

  • Adicionar linhas de título para facilitar a compreensão de quais informações você tem na sua planilha
  • Remover linhas ou colunas duplicadas se você tiver várias cópias do mesmo registro em seu conjunto de dados
  • Se você exportou dados, exclua linhas ou colunas que não vai usar. Por exemplo, muitas ferramentas adiciona uma coluna “ID” ou carimbos de data/hora às exportações de dados, que você não usará em sua análise
  • Padronizar seus dados para que valores numéricos, como números, datas ou moeda, sejam expressos da mesma maneira

Limpar e padronizar seus dados é uma etapa preparatória essencial para análise. Isso torna menos provável que você tire conclusões incorretas com base em dados inconsistentes e mais provável que você obtenha insights úteis.


3 – Comece pelos nomes (principalmente de gráficos)

Classifique mentalmente cada gráfico, tabela e tabela. (EX: “Este é um gráfico que mostra a mudança no preço do produto ao longo de quatro anos.”) Não pule as estatísticas completamente e vá direto para as perguntas! 

Embora você possa pensar que isso economizará seu tempo, na verdade diminui significativamente sua precisão. Você tem que saber o que você está olhando primeiro. 

Certifique-se de ler cada pequeno pedaço de escrita sobre ou próximo aos dados, incluindo títulos, rótulos para os eixos x e y, nomes de colunas e até notas de rodapé, se houver. Role para baixo para ter certeza de que você pegou tudo.

4 – Preste atenção nas unidades

Depois de entender os nomes, tome cuidado especial para anotar as unidades. Estamos lidando com segundos, minutos ou horas? Um gráfico representa o mês de julho, enquanto o outro gráfico representa o ano inteiro? 

As unidades podem mudar de gráfico para gráfico ou de gráfico para tabela. Observe especialmente qualquer informação sobre porcentagens (pense sempre “tantos % em relação à quê?”).

5 – Procure tendências e semelhanças

Observe rapidamente a relação entre as variáveis ​​em cada tabela, número ou gráfico. Eles têm uma correlação direta ou indireta? Onde os dados aumentam ou diminuem significativamente? Procure tendências entre eles, daí podem sair muitos insights super produtivos.

6 – Vincule a pergunta aos dados

Um erro comum em análises é usar os dados errados. É importante definir o que você quer saber e quais dados usar para isso.

7 – Conheça o Nanodegree em Entendendo o Público e Trabalhando com Dados

Para fazer uma estratégia focada em experiência ao cliente na sua relação com a marca, um dos requisitos essenciais é entender onde encontrar o público, como atuar junto ao mesmo e como mensurar o seu engajamento com o produto ou serviço oferecido. 

Por isso o curso Nanodegree em Entendendo o Público e Trabalhando com Dados foi desenvolvido, para você aprender sobre: Entender seu público; Estratégia de canais e Dados e feedback.

Saiba mais sobre o curso aqui e aproveite essa oportunidade de começar a trabalhar com dados de uma forma super assertiva e eficiente. Ah, e não se esqueça de se inscrever na nossa newsletter para receber conteúdos como esse direto no seu e-mail!

Compartilhe:

Enviar Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fique por dentro
Inscreva-se em nossa Newsletter

Sem spam, somente artigos.

Glossário da Gestão
Bill Gates

Bill Gates é um empresário, programador e filantropo americano, mais conhecido como o cofundador da Microsoft Corporation, a maior empresa de software do mundo. Gates é amplamente reconhecido por sua visão inovadora e por sua capacidade de transformar a indústria da tecnologia, além de seu extenso trabalho filantrópico através da

Mais >>
Networking

Networking é o processo de construir e manter relacionamentos profissionais que podem proporcionar suporte, informações, oportunidades de negócios e desenvolvimento de carreira. Trata-se de interagir com outros profissionais para trocar conhecimentos, criar parcerias, encontrar mentores, e expandir sua rede de contatos. O networking é essencial para o crescimento pessoal e

Mais >>
Glossário do Direito
Revisão Criminal

A revisão criminal é um instituto jurídico previsto no direito processual penal brasileiro que permite a reavaliação de processos penais já transitados em julgado. Trata-se de um mecanismo de correção de erros judiciários que pode ser utilizado em favor do réu, visando anular ou modificar uma sentença condenatória injusta. A

Mais >>
Ad judicia

Ad judicia é uma expressão latina que significa “para os juízos” ou “para os processos judiciais”. No contexto jurídico, essa expressão é utilizada para designar atos, documentos ou medidas que são realizados especificamente para serem apresentados ou utilizados em processos judiciais. A utilização de medidas ad judicia é comum em

Mais >>
Aprofunde seu conhecimento
Artigos relacionados
Gustavo Cerbasi

Gustavo Cerbasi

Gustavo Cerbasi é um renomado especialista brasileiro em finanças pessoais, palestrante, escritor e consultor financeiro. Conhecido por suas abordagens práticas e acessíveis sobre como gerenciar